• INSTITUTO FLÁVIO LUCE

SOBRE A ATIVIDADE “LIVRO DE LEMBRANÇAS ODONTOLÓGICAS”




ESCREVA VOCÊ PODE


Quem um dia, em conversas com colegas, já não disse: “Eu nunca vou esquecer quando ...” e segue o relato de um fato que ocorreu durante sua jornada de trabalho, o quê, de imediato, após risos e comentários, provoca de parte de um dos ouvintes uma nova exclamação: “Isso não é nada, escuta essa que também, me aconteceu... e introduz-se outra narrativa no descontraído bate papo.

Qual entendimento se pode tirar desse tipo de acontecimento?

Certamente de que nossa vida profissional é rica em episódios que em nós despertam sentimentos fortes, inesquecíveis, de alegria, surpresa, tristeza, admiração, reconhecimento, curiosidade, e uma serie de outros sentimentos, que se reunidos expressam muito de nosso cotidiano, transcendendo nossos atos operatórios, que inegavelmente, marcam o que pode ser entendido como a essência de nosso fazer profissional, do qual tratamos em palestras, cursos e eventos cintíficos

Essa polifonia de outros tipos de acontecimentos não vinculados especificamente aos aspectos técnicos de nossa profissão é o atestado mais óbvio que nosso exercício profissional é marcado profundamente por relações de subjetividades entre nós e nossos pacientes, as quais mexem com nossos sentidos, algumas a ponto de marcar indelevelmente nossas lembranças, ocupando nossos pensamentos e gerando desejos de compartilhar essas experiências com nossos colegas.

Mas, é possível nos perguntar: O que buscamos com isso?

Uma série de coisas, mas, certamente, implícito nesse ato está presente o desejo de falar para escutar a opinião, a reação, o entendimento, a certeza de que coisas desse tipo são comuns e estão presentes no fazer de outros que partilham de um mesmo tipo de exercício profissional, evidentemente que adjetivas por circunstâncias diversas, o que as torna ao mesmo tempo particular, únicas como momentos de vivência.

Também, é importante registrar que isso ocorre no exercício de qualquer uma das especialidades exercidas por membros de nossa categoria, assumindo contornos que dão ainda mais especificidade e riqueza a caracterização do fazer odontológico, em sua totalidade.

Colocamos todas essas considerações para dizer que o exercício da odontologia é em si uma fonte com potencial gerador de temas para quem não ensimesmado, prisioneiro de quatro paredes de um consultório, assume-se como um individuo de relações, de diálogo, de troca e compatilhamento com seus colegas, na busca de cada vez, mais descobrir e entender o ser real do se fazer de sua profissão.

Mas esse tipo de comportamento não se dá apenas pela fala circunscrita a pequenos ambientes de convívio, ela pode e deve ser objeto de registros por meio da escrita que publicizada, em revistas, e livros e nas redes sociais, amplia os espaços de difusão, mas que, também é um recurso que permite e favorece mais cuidados na elaboração da narrativa.

Assim, as história vividas ou ouvidas se constituem em mote para que você, que certamente tem uma história para contar, fale por escrito, escreva, bote no papel e construa um pequeno conto, que publicado, torne-se acessível ao conhecimento de sua categoria.

Escrever você sabe, pois teve todas as possibilidades de se alfabetizar, tanto que chegou e superou o nível do ensino superior. Utilize esse potencial à sua maneira, quem melhor sabe dizer o que você vivenciou que você mesmo? Pense nisso. Não diga eu não sei escrever, mesmo que assim pense, tente. Elabore sua narrativa, relabore-a para ser mais preciso em seu desejo do que nela você deseja realçar. Se ficar na dúvida leia-a para alguém e peça opinião. Se julgar conveniente a considere e volte a escrever. Não se constranja em pedir a um conhecido de sua confiança que a revise. Torne-se, nem que seja por um momento, um autor, integrando o livro que está sendo organizado pelo Instituto.

Você esta sendo convidado a participar dessa aventura. Ela não é inédita no campo da medicina. Em 2011 , patrocinado pela UNIMED de Porto Alegre, que comemorava 40 anos de existência, publicou-se uma coletanea desses contos, produzidos por médicos. O livro Chamava-se Historias & Estorias Médicas, de grande repercussão pelo interesse que despertou na categoria e no publico em geral.

Caso esteja interessado faça, contato conosco. EM NOVA POSTAGEM APRESENTAREMOS OUTRA INFORMAÇÕES PARA ORIENTAR SUA PARTICIPAÇÃO. FIQUE NA ESCUTA!

0 visualização

Instituto Flávio Luce

Saiba mais sobre nós. A construção, o funcionamento e as perspectivas que se tem em relação ao Instituto se fundamentam nos seguintes atributos:

Institucional
Comunicação
Instituto Flávio Luce

Referência para contatos:

Programação

Nos acompanhe

© 2018 por Sheep Consultoria